Como preencher súmulas de cervejas

on 16 de outubro de 2012





Após minha participação no VII Concurso Nacional das Acervas, onde organizei e gerenciei o concurso, gostaria de conversar justamente sobre um ponto muito importante dentro de uma competição cervejeira, que é o de feedback/preenchimento de fichas, com exemplos bons e ruins.

Em competições BJCP, geralmente os juízes tem 10-12min pra preencher cada ficha de avaliação.  Os vôos são de 8-12 cervejas, então em aproximadamente 1h30-2hs, o juíz tem que comunicar ao máximo através da escrita o que está sentindo na cerveja.  Essa é uma das razões pouco faladas de porque ser juíz de cerveja é difícil!!  Se considerarmos que em uma competição podemos ter 3 ou até 4 vôos no mesmo dia, um juiz terá que preencher algo como 40 ou 50 fichas de avaliação. Dá-lhe cãimbra na mão! Mesmo assim, acredito que a pessoa que se candidata a ser juíz de cerveja está ciente desse detalhe.

Tendo isso em vista, vamos aos fatos.  Existem juízes bons e ruins.  Obviamente que temos alguns melhores que outros.  Alguns podem ser mais experientes, podem ter abilidade de comunicação diferentes, podem ser melhores sensorialmente, podem ter conhecimento técnico para feedback diferentes, podem ter letra melhor (!!) e/ou escrever mais rápido.  Tudo isso influenciará na qualidade do juíz.  O que não poderia faltar, no entanto, é empenho!  Mesmo eu sendo um juíz pior que o fulano (pelas razões acima listadas), eu tentarei ao máximo descrever as sensações, a impressão geral, onde a cerveja se enquadra no estilo e seus problemas.  Obviamente que, ao olhar fichas de avaliação em branco, alguns juízes não estão entendendo algumas coisas.  Acredito eu que esses juízes interpretaram erroneamente o trabalho de avaliação de cervejas principalmente pelos motivos:

1) Eles acreditam que dar a nota da cerveja e dizer qual é a melhor é o suficiente;
2) Eles não entenderam que ser juíz é realmente muito trabalhoso;
3) Eles não foram instruídos sobre os pontos 1 e 2.


Existem juízes bons e ruins.  Mas o que não pode faltar é empenho!

No outro lado do espectro, temos alguns juízes que dão exemplos tão absurdamente positivos do que é ser um juíz BJCP, que eu não poderia deixar de mencioná-los.  E eu vi isso in-loco durante o nosso concurso nacional, em Piracicaba.  Nicole Erny, juíza National do BJCP, mostrou o porquê!  A seguir mostro algumas das fichas de avaliação dela, que avaliou o estilo livre, que abrange todo o espectro de estilos e é dificultado ainda mais pelo uso de ingredientes diferentes e que não conhecesse.

Mostro então a seguir inúmeros exemplos das fichas dela.  Queria dizer que eu não escolhi as melhores fichas.  Fui tirando fotos uma a uma.  Ela realmente preencheu todas as fichas de avaliação dessa mesma maneira.  Acredito que apenas ao ler seu modo de se comunicar com o cervejeiro-caseiro, seu vocábulo e uso de palavras e termos técnicos e também não-técnicos (porém descritivos) já tornará o leitor do blog um melhor avaliador de cervejas.  São muitas fichas, mas vá lendo com calma que você irá aprender muito.

































1 comentários:

Anônimo disse...

Sensacional. Gostaria de ter tido o prazer de receber uma ficha assim. Infelizmente a ficha da Russian Imperial Stout que recebi estava muito aquém deste nível.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...