Querida Cerveja Artesanal: Parei De Me Importar!!

on 3 de dezembro de 2012



O texto a seguir não representa 100% da minha visão (mas se eu a posto aqui é porque tenho alguma afinidade com ela).  É apenas uma tradução de um texto desse blog que realmente é diferente de toda a baboseira que se ouve no meio micro-cervejeiro, e por isso posto aqui.  Acredito que ainda mais no Brasil, além dos altos impostos do governo, a margem de lucro é maior.  O carro chefe das cervejarias (Pilsen, trigo, stout) segue uma linha de preços regida pelo mercado.  Já a linha de cervejas especiais (IPA´s, imperial stouts, saisons, belgas, etc..), que tem menos saída e menos competição e distribuição, ainda tem margem de lucro maior simplesmente porque tem gente que paga!

Outro ponto que eu gostaria de fazer é sobre a clara "visão do futuro" que esses artigos representam para nós brasileiros.  Com uma fatia do mercado de 5% das micros nos EUA, as grandes cervejarias já estão olhando para os pequenos como intrusos e por isso já traçam estratégias para parar o seu crescimento ou para conseguir ter também uma fatia do bolo microcervejeiro.  Nós aqui com menos de 1% ainda estamos um pouco longe disso.  No entanto, o crescimento nosso é mais rápido e em pouco tempo chegaremos lá.  E por isso temos que estar atentos ao que está sendo feito pelas grandes cervejarias de lá, que no caso são as mesmas daqui (ABInbev), e traçarão a mesma estratégia.  Falo um pouco como porta-voz da cerveja artesanal porque é aí que justamente a minha opinião difere da do autor.  Acho que com menos de 1% da fatia do mercado, a disponibilidade e diversidade de cervejas diferentes ainda é muito pequena.  Se contarmos então em cidades do interior ou de estados menos ricos, é ainda pior.  Por isso que eu acho que temos que incentivar as microcervejarias (e também porque as coisas aqui não são exatamente como elas são lá nos EUA).



"Querida Cerveja Artesanal: Parei De Me Importar!!

Querida e doce cerveja artesanal, essa postagem vai ser difícil pra você ler, já posso dizer..  Mas eu tenho algumas coisas que preciso falar (basicamente suas botas cervejeiras altas até a panturrilha), e foi apenas depois de eu ler um artigo de como as grandes cervejarias estão se aventurando em cervejas artesanais que eu criei uma frustração suficiente para falar disso.  Por favor tenha paciência comigo.


O tópico não é nada novo.  Como o último lançamento de Hollywood ou a mais nova novela do horário nobre, é um novo arranjo de tópicos que já foram falados à respeito há anos no meio cervejeiro.  Quero dizer, por nerds em fórums e os que vendem cerveja artesanal.  Sim, nós todos sabemos que grandes cervejarias como a ABInbev, MillerCoors, etc, estão tentando pegar onda no seu sucesso ao vender marcas não associadas com cadeia principal de vendas.  Exemplo, Tenth and Blake, o braço "artesanal" da MillerCoors e sua biblioteca de marcas Não-MillerCoors, como a Blue Moon.  Dá pra perceber que as grandes crevejarias estão escondendo o fato deles controlarem essas marcas? Sim.  Tá certo isso?  Claro que sim.

O que me fez pensar sobre nossos relacionamentos foram algumas passagens nesse artigo sobre essas novas marcas das malvadas grandes cervejarias.

"Existem dois tipos de consumidores", fala a Anat Baron, diretora do documentário Beer Wars, que explora a batalha entre as micro e macrocervejarias.  "Consumidores que compram pelo preço e não se importam com quem faz o que eles compram, e outros consumidores, que são uma minoria em crescimento, que realmente se importam sobre quem faz o que eles estão comprando."

Eu nunca tinha percebido isso antes, mas é essa linha de pensamento o que me fez não estar mais apaixonado por você.  A idéia de que existem dois tipos de consumidores - um que se importa e um que não - é exatamente a fonte do rótulo de Cervochatos que já foi jogada sobre mim e outros como eu.  Eu grito do alto de meus pulmões "Conversa fiada".  Você me conhece, cerveja artesnaal.  Eu te amo!  Eu corro nos seus bosques e subo nas suas árvores.  Eu te celebro em qualquer oportunidade e chamo amigos para se deitar aos seus pés num ritual bizarro e possivelmente pseudo-sexual, mas eu também sou quebrado de grana.  Como resultado disso, eu não posso pagar os seus presentes mais caros.  Então eu compro de acordo com preço porque eu tenho que fazer isso, mas também porque EU QUERO.  O que eu notei é uma tendência das cervejarias venderem suas crias a preços insanos simplesmente porque o produto foi envelhecido em barril por 6 meses.  E claro, a cervejaria tem que levar isso em conta, mas existe um ponto que alguém diz "Basta!".  Não, eu não vou comprar seus preços altos mais não.  Eu te amo, mas tem uma hora que você fica muito metida, que precisa colocar os pés no chão, e voltar ao seu humilde começo de IPAs, Pale Ales e Stouts sem envelhecimento em barris de bourbon.  Eu compro cerveja artesanal por preço, e não me importo com quem a produziu.  Se produzem boas cervejas, bom.....é o que importa.  Eu também bebo Coors e PBR.  Isso me faz alguém que não se importa com você, ou quem fez você? Não.  Me faz um cara com sede e que, no momento, está bebendo uma Coors.  E se outros apaixonados por cerveja artesanal tentassem só um pouquinho em não ser tão esnobe, talvez eles também possam curtir.

Existe um termo mal colocado sobre você, cerveja artesanal, indiscutivelmente começado pelos cervejeiros artesanais, que diz que cerveja feita por grandes cervejarias é algo ruim: "É ruim!  Não importa se eles tem mais de 50% do mercado e que tem sido assim por muitos anos.  Não importa se essas cervejas são as mais difíceis de se produzir.  Nem olhe lá, foque na cerveja artesanal e o quão artesanal nós somos - olha, nós temos barba!  E essas coisas - elas são mãos!  Que nós usamos para pegar malte!  Aquela coisa branca, pó de malte! Consegue ver?  Nós SOMOS diferentes!" 

O que os cervejeiros artesanais falham em ver é que esse é o mesmo marketing que as "malvadas" grandes cervejarias  tem usado por anos.  Na verdade, é o mesmo tipo de marketing que empreendimentos usam.  Essa postura de que todos os cervejeiros artesanais são amigos e que não existe competição entre eles é balela.  Todos estão vendendo você, cerveja artesanal.  Isso é negócio e eles estão atrás do meu dinheiro do mesmo modo que a Coors está.  Alguns cervejeiros ainda falam que eles não fazem marketing, porque isso é o que as grandes fazem.....de novo eu falo  "Conversa fiada"!  Se você imprime panfletos para eventos e happy hour, você está fazendo publicidade..  Se você patrocina eventos de cerveja caseira, você está fazendo marketing.  Faz bolachas de chopp?  Marketing.  Vende camisetas?  Ainda marketing!  A idéia de que um é melhor do que o outro é veneno para a indústria artesanal.

Bom, cerveja artesanal, isso é tudo o que eu tenho pra falar.  Eu senti que tinha que falar do porque eu parei de me importar tanto com você e decidi beber aquilo que eu quero, independente de quem faz.  No final, realmente não importa muito.  Nós todos iremos morrer com fígados sobrecarregados, mijando num saco na cama de um hospital, então porque não fazer o que eu gosto agora.  E para mim não é comprando o seu marketing de que você é melhor porque se importa, ou porque você não usa milho em sua cerveja.  Se você realmente quer ser melhor que as grandes cervejarias, sua artesanal, então pare de se importar tanto com o que as grandes estão fazendo e se importe com o que você não está fazendo!

Amor,

JP"

FONTE: http://moderndaymerrick.blogspot.com.br/2012/11/dear-craft-beer-i-stopped-giving-shit.html

5 comentários:

Fernando M Pacheco disse...

Mandou muito bem! Acredito que esse seja o sentimento de uma nação silenciosa, a nação dos consumidores de boas cervejas.
Eu até me importo com quem fabrica as cervejas que bebo, os métodos e ingredientes utilizados, mas na hora de comprar uma cerveja nada disso é mais importante do que o custo/benefício.

Anônimo disse...

acho que ele se perdeu na conclusão, em que pese a qualidade de argumentos e "toques nas feridas" do mercado de cerveja artesanal. acontece muita hipocrisia, muito discurso, mas no fim do dia todos só pensam no próprio lucro (o que é normal em um negócio). falta cultura ao consumidor e falta agressividade às cervejarias. ainda, no brasil estamos vivendo um boom economico, em q nossos custos, que já eram altos, estão chegando ao topo do mundo. São muitos ingredientes que apontam uma continuidade nessa m**** de industria cervejeira nacional, sempre sob confetes e aplausos.

Phil disse...

Pois é. Eu acho super interessante de ler pontos de vista assim porque é algo "sem papas na língua", que meio que fere todo essa "camaradagem" que alguns fingem existir. É uma visão de alguém que gosta de cerveja, mas que não entra na onda do "quanto mais complexo melhor". Isso num país que já está fazendo coisas complexas há bastante tempo. Eu concordo com esse argumento de que algumas cervejas são mais caras do que deveriam ser, só porque são maturadas em carvalho. Lá essas cervejas são caras. Aqui no Brasil então, com apenas um punhado de cervejarias fazendo experiências assim, os preços são no mínimo abusivos (vide a Falke 'Vivre pour vivre')

Nataniel, o Metz disse...

Digo isso a tempos: ninguém faz nada no Brasil se não tiver 500% de lucro em cima.
Já faz um bom tempo que eu penso bem antes de pagar caro por uma cerveja...

Fernando MDB disse...

Compreendo essa dificuldade em saber o que comprar no mercado, justamente por não conseguir avaliar o valor daquilo que se compra. Ainda mais difícil é saber se realmente quem fez usou a técnica que apregoa, ou que haja uma construção mais comprometida com a qualidade do produto.
Produzo cerveja artesanal, detesto a forma que as macrocervejarias vendem aquilo que vendem. Não considero cerveja o que fazem e não é por birra, é por analisar o produto. Pra terem uma ideia, o álcool da cerveja é um dos principais itens da sua composição, na macrocervejaria 70% desse álcool vem do milho com um único objetivo, custo.
Se isso fosse informado, legal, eu poderia como consumidor escolher. Mas isso mais do que escondido, é negado... Aí meu queridos, não dá. A minha bronca é essa. Se as macrocervejarias fossem obrigadas a descrever em letras que se possa ler, o que é aquilo, mais pessoas procurariam outros rótulos. Os artesanais produziriam mais, teriam mais mercado e aí sim, vocês que são consumidores ampliariam as escolhas e pagariam menos, o que acho justo, porque acho cerveja artesanal no Brasil absurdamente cara.
O que eu digo aos amigos e conhecidos é, procure cervejeiros caseiros aí pela tua cidade, pelo teu bairro. Compra duas ou três garrafas de um, experimenta, compra de outro. Se for ao mercado e uma cerveja 'especial' estiver muito cara, não compre. Mas pense numa cerveja de macrocervejaria como se fosse um hamburguer de fast food, aquilo não vai te trazer nada de bom, além de que dizer que é de carne não passa de uma farsa.

ps: 500% de lucro... isso é piada de mau gosto, faço cerveja e só o que sobra é um salário.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...